Esboço de poema interativo

para realização no projeto criado por Heloísa Buarque de Hollanda
em parceria com o LAMCE

 

Descrição geral da "instalação"

Fluxo vertiginoso de palavras (substantivos
e/ou adjetivos) terminadas com "rio"

[Ex.: balneário, mistério, delírio, território, espúrio, santuário, ...], alinhadas pela direita, cadastradas numa base de dados que irá gerar múltiplos diagramas e permitir a audição das palavras nas mais variadas vozes da cidade.
Cada palavra será registrada em mais de uma voz. A sequência será gerada aleatóriamente

pelo sistema, obedecendo a critérios prefixados

que garantam a maior alternância possível
de tamanhos e sonoridades.

Ao se a proximar da instalação, o visitante
só ira conseguir distinguir o final estático
das grandes palavras que se sucedem em ritmo
acelerado, sobre um fundo de ondulações

geradas pela sonorização de cada uma delas,

ouvindo apenas um "murmúrio" causado pela sobreposição das várias vozes. À medida que for se axproximando das palavras, a velocidade irá diminuindo, até parar numa dada palavra,

que se abrirá com verbete, diagramas, e indicação – num relevo estilizado da cidade –
das diversas vozes que pronunciaram a palavra.

A base de dados deverá, portanto, registrar

também a localização e dados gerais
sobre as pessoas que pronunciaram a palavra.

Será interessante ter a consultoria de um especialista em sociolinguística para

elaboraração de critérios  que permitam
um mapeamento acurado dos vários socioletos que interagem na cidade.

O som poderá ser espacializado na instalação
para dar a sensação que vêm dos mais variados locais da cidade.

O mesmo conceito poderá ser adaptado
para um totem multimídia, aplicativo online

ou mobile.

 

Abaixo:
simulação do fluxo com 60 palavras

(cerca de 500 foram registradas até agora,

embora não pretenda trabalhar com todas,

apenas com as que têm uma carga semântica
mais sugestiva).

Ao se colocar o mouse sobre as palavras,

a animação pausa; ao se retirar, ela continua...